CRIANÇAS TAMBÉM PERDEM CABELOS

queda-de-cabelo-criancasEmbora menos comum do que em adultos, criança também perde cabelos.  As quedas de cabelo em crianças são menos comuns do que em adultos, mas ocorrem freqüentemente. Pesquisas dão conta de que 3% das consultas aos médicos pediatras nos Estados Unidos se relacionam ao problema.

Já nas primeiras semanas de vida, o bebê pode ter queda de cabelos difusa ou localizada. É um quadro transitório, que não precisa de tratamento. As causas de queda de cabelo em crianças, ou seja, em pessoas de até 12 anos, são inúmeras. Fungos, alopecia areata, traumas, eflúvio telógeno e eflúvio anágeno são as mais freqüentes.

Os fungos podem atingir crianças de todas as idades em especial nas regiões mais pobres, pelo fato de viverem aglomeradas em moradias de higiene precária. Ocorrem mais, porém, em crianças na faixa pré-escolar e escolar, isto é, de 5 a 10 anos. Existem dois tipos: a tinha tonsurante e a tinha favosa. A tinha tonsurante, mais freqüente, é causada por fungo adquirido de outras crianças ou de adultos doentes ou só portardores, da terra e da areia ou de cães e gatos. O microrganismo “corta” porções de cabelo próximo do couro cabeludo, deixando a criança com uma ou várias peladas. Já a tinha favosa é mais rara, porém contagiosa e grave. Provoca várias lesões no couro cabeludo. Inflama o folículo piloso, podendo deixar cicatriz e, portanto, calvície definitiva nos locais em que ocorre.

A alopecia areata carateriza-se pela queda repentina e geralmente rápida de cabelo do couro cabeludo e/ou de qualquer outra região do corpo, deixando a pele lisa. Trata-se de uma doença auto-imune, que atinge crianças, jovens e adultos. Na infância, ocorre principalmente em meninos e meninas de 5 a 11 anos. Provoca mais freqüentemente lesões redondas ou ovaladas. É comum ser desencadeada por fatores como estresse pela perda de alguém querido.

Os traumas dividem-se em alopecia tracional e tricotilomania. A alopecia tracional deve-se a traumas freqüentes no folículo piloso pela ação de quem cuida da criança. O exemplo clássico é a mãe que sempre faz a mesma traça na filha, forçando seus cabelos. De tanto pressionar o folículo piloso, ele se inflama e atrofia. Os cabelos não nascem mais. Já a tricotilomania, distúrbio psiquiátrico, também pode ocorrer em crianças. Em situações de tensão e estresse elas mexem nos cabelos e os arrancam, formando áreas de calvície.

O eflúvio telógeno, por sua vez, se caracteriza por aumento na quantidade/ proporção de cabelos na última fase, a telógena, e a conseqüente aceleração no ritmo de queda. Pode ser agudo ou crônico. A forma aguda ocorre em geral dois a três meses após febre alta, hemorragia, desnutrição aguda, infecção e estresse pela perda de alguém querido. A crônica se caracteriza quando a queda de cabelos ocorre por mais de seis meses. Entre as causas estão: desnutrição protéica, anemia crônica e o hipotireoidismo.

E o eflúvio anágeno, enfim, se caracteriza quando todos os fios de cabelo que estão na fese de crescimento ou de multiplicação (fase anágena) passam a cair. Ocorre em crianças que fazem quimioterapia para o tratamento de câncer.

A perda de cabelos incomoda sobretudo crianças maiores, pois mexe com sua vaidade e com a sua auto-estima. Nas situações mais graves, elas podem até ser atingidas por estados depressivos. O ideal é, à primeira indicação de queda excessiva de cabelos, leválas a um dermatologista. A maior parte dos casos, felizmente, já tem tratamento eficaz.

Texto de Célia Horta

Anúncios

Sobre Claudinha Grycak

Brasileira, divorciada, natural de São Paulo, 40 anos. Sou portadora de Alopecia há 21 anos, criei esse blog para aproximar as pessoas que sofrem desse problema. "Aceitação não é comodismo ou fuga, o ato da aceitação equivale a envolver com amor profundo os fatos que não podemos alterar e encará-los como circunstâncias a serem vivenciadas e vencidas para o fortalecimento do nosso ser."
Esse post foi publicado em Alopécia, Beleza, Cabelos, Crianças, Dicas, Doenças, Família, Saúde e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s