SOPAS INDUSTRIALIZADAS PODEM SER PERIGOSAS PARA O CORAÇÃO E OS RINS, DIZ PESQUISA

Por Claudia Grycak

Chegou o frio e com ele bate aquela vontade de tomar uma sopinha, um caldinho…  Na correria do dia a dia muitas pessoas acabam recorrendo as sopas industrializadas, mas pesquisa diz que elas podem ser perigosas para o coração e os rins devido a quantidade elevada de sódio que esses produtos contém.

Leiam abaixo a matéria na integra

Um bom dia a todos!!

Beijocas, Claudinha

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC) o consumo de sopas industrializadas pode ser um perigo para a saúde da população. A pesquisa analisou 42 sopas instantâneas, de 18 marcas diferentes, todas disponíveis para compra nos supermercados de São Paulo.

Entre elas existiam as desidratadas de preparo usual (pós para a adição de água fria e cozimento por cerca de 5 minutos); as desidratadas instantâneas (pós para a adição de água quente), também conhecidas como “sopas de escritório”; as prontas em sachês (que podem ser mono ou multiporção, prontas para o consumo, bastando para isso aquecer); e as prontas congeladas (que também só precisam ser aquecidas). O critério analisado na pesquisa foi a quantidade de sódio destas sopas, com parâmetro nos valores indicados nos rótulos de cada uma delas.

O resultado foi surpreendente e preocupante. Quase 20% das amostras revelaram quantidades elevadas de sódio, chegando, em alguns casos, à metade da recomendação de ingestão diária. Isso em apenas uma única porção da sopa.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), dividindo igualmente o sódio entre aproximadamente 5 a 6 refeições ao dia, o consumo do sódio não deve ser maior do que 400mg em cada uma delas. No Brasil, a ANVISA propõe e considera elevada a quantidade superior a 400mg de sódio por 100 g ou 100 ml de produto. Com base neste parâmetro, oito das sopas pesquisadas estão acima do limite e devem ser consumidas com moderação e eventualmente, pela população.

Segundo os pesquisadores é possível perceber que a quantidade de sódio entre as sopas analisadas na pesquisa varia de 8% a 51% da recomendação diária para os adultos. Se acrescentarem o tradicional pãozinho francês e uma colher de queijo parmesão ralado a essas sopas, a ingestão de sódio subiria para valores entre 28% e 71% da quantidade recomendada. Valores que excedem significativamente as recomendações para uma única refeição do dia.

É claro e comprovado o prejuízo do consumo excessivo de sódio para a saúde. Ele favorece a hipertensão, danos ao coração, retenção de líquido e piora os quadros de obesidade, além de sobrecarregar a função renal. “O excesso de sódio no organismo funciona como uma esponja, retendo água. O corpo incha com o aumento do volume de líquidos, elevando a pressão sanguínea”, diz a professora de endocrinologia da Faculdade de Medicina do ABC, Maria Ângela Zaccarelli Marino.

Os especialistas alertam que ter uma alimentação saudável e controlar o consumo de sódio é fundamental para a saúde a curto e longo prazo. Valorizar produtos naturais é sempre mais indicado. O consumo dos produtos industrializados deve ser consciente e considerar não apenas a praticidade, mas principalmente a sua composição nutricional.

Segundo a técnica do IDEC e coordenadora do estudo, Vera Barral, todas as sopas que foram analisadas nesta pesquisa receberiam cor amarela se avaliadas pelo parâmetro do Semáforo Nutricional. O Semáforo Nutricional é um instrumento de informação ao consumidor, utilizado pela Food Standards Agency do Reino Unido, para indicar as quantidades de açúcar, gorduras e sódio em cada 100 g de alimentos, classificando-as por cores indicativas, impressas na embalagem do produto: verde (valores baixos); amarelo (valores médios); vermelho (valores altos).

A pesquisa propõe que o consumidor esteja consciente nas escolhas alimentares e na recomendação para consumo de sódio.

Vale à pena relembrar:

  • A recomendação de ingestão diária de sódio, feita pela ANVISA, é de 2.400 mg para os adultos.
  • 1 g de sal contém 400mg de sódio.
  • O consumo máximo de sal não deve ultrapassar 6 g de sal por dia.
  • A OMS recomenda que essa quantidade seja dividida igualmente entre as refeições, portanto, seis refeições com 1 grama de sal em cada uma delas.

Para maiores informações sobre os produtos avaliados e analisados na pesquisa, acesse o link: http://www.idec.org.br/imagens/revista/134-pesquisa-04.jpg

Fonte: Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC).

Anúncios

Sobre Claudinha Grycak

Brasileira, divorciada, natural de São Paulo, 40 anos. Sou portadora de Alopecia há 21 anos, criei esse blog para aproximar as pessoas que sofrem desse problema. "Aceitação não é comodismo ou fuga, o ato da aceitação equivale a envolver com amor profundo os fatos que não podemos alterar e encará-los como circunstâncias a serem vivenciadas e vencidas para o fortalecimento do nosso ser."
Esse post foi publicado em Alimentação, Dicas, Diversos, Doenças, Saúde, Utilidade Pública e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s